TÉCNICA DE COLAGEM

Suporte técnico de colagem.

PRINCÍPIOS FÍSICOS

Essencialmente, colar é ligar peças por meio de uma camada adesiva (a cola). A cola endurece por meio de secagem ou de uma reação química e assim segura os dois materiais um ao outro. Dois fatores influenciam a resistência da ligação:

ADERÊNCIA (ADERÊNCIA DA INTERFACE)

Consegue-se uma boa aderência quando existe um contacto estreito entre as superfícies das peças e a cola. Isto só é possível quando não há substâncias estranhas no espaço entre elas. As superfícies a colar devem estar limpas e sem gordura nem pó. A aderência é melhorada tornando as superfícies rugosas com lixa, pois isto limpa corpos estranhos da peça a trabalhar e aumenta a área da superfície.

ADHESION (INTERFACE ADHESION)

COESÃO (ESTABILIDADE INTERNA)

A coesão refere-se ao modo como as peças coladas (moléculas) se mantêm ligadas.

Quanto maior for a coesão, maior é a estabilidade da cola.

Ao colar, a coesão é otimizada quando a cola não é aplicada em excesso.

Cohesion (inner stability)
Ir para o topo

A PREPARAÇÃO CERTA

PASSO 1

Limpe qualquer sujidade, ferrugem, resíduos de tinta e outros corpos estranhos da superfície.

PASSO 2

Torne a superfície rugosa lixando-a.

PASSO 3

Remova completamente qualquer resíduo de gordura das superfícies a colar. Exemplos de produtos que são adequados para isso são acetona, álcool ou diluente celuloso.

PASSO 4

Deixe secar as áreas a colar.

PASSO 5

Não volte a tocar nas superfícies preparadas para evitar a transferência de óleo da sua pele.

PASSO 6

Aplique a cola numa camada fina, uniforme (tenha atenção ao tempo de secagem (flash-off) no caso de colas de contacto).

PASSO 7

Mantenha a sujidade e o pó afastados das superfícies que acabaram de ser cobertas com cola.

PASSO 8

Pare qualquer trabalho de lixagem, etc. até que as peças estejam coladas.

Ir para o topo

O QUE DEVE TER EM CONTA

Desenho de superfícies a colar com base na forma e tamanho

Entre outros fatores, o tipo de carga é vital na determinação da aderência da cola. Usando métodos simples, as juntas coladas fracas podem ser melhoradas e tornadas estáveis. Segure as peças em conjunto e mova-as de forma a que reflitam a força da carga a que vão estar sujeitas. Isto dá-lhe uma ideia das forças que vão atuar numa dada direção e permite-lhe determinar o tipo de carga.

BUTT JOINT

JUNTA TOPO A TOPO

Nos casos de carga/tensão de tração pequena, escolha a junta topo a topo.

SCARFING

JUNTA DE TOPO EM BISEL

No caso de grandes cargas, aumente a área das superfícies a colar por meio de cortes em diagonal.

SCARFING

JUNTA DE TOPO EM MEIA MADEIRA

No caso de grandes cargas, aumente a área das superfícies a colar por meio de cortes em meia madeira.

SINGLE STRAP JOINT

JUNTA COM REFORÇO SIMPLES

No caso de grandes cargas, aumente a área das superfícies a colar por meio de um reforço simples.

DOUBLE STRAP JOINT

JUNTA COM REFORÇO DUPLO

No caso de grandes cargas, aumente a área das superfícies a colar por meio de um reforço duplo.

GAP LOADING

CARGA DE TRAÇÃO DESCENTRADA

Uma carga descentrada é aplicada a toda a superfície (perpendicular à superfície colada). Reforce como no caso de uma carga de tração, ou coloque uma abraçadeira à volta da junta.

PEEL LOADING

CARGA DE DESPEGAMENTO

Os materiais flexíveis podem descolar-se da superfície colada devido a forças de despegamento. As superfícies coladas podem ser reforçadas para contrariar a carga de despegamento como segue: 

PEEL LOADING

a)

Colando por cima uma tira de reforço de material.

PEEL LOADING

b)

Enrolando a parte flexível à volta do rebordo da parte mais rígida.

PEEL LOADING

c)

Arredondando as arestas em risco de descolar.

Ir para o topo

Cookies

Este site usa cookies para melhorar a sua experiência online. Se quiser saber mais sobre a exclusão de todos ou alguns cookies, clique aqui.